Vinícula é forçada pelo rabinato a demitir ETÍOPES

A lei judaica proibe beber vinho tocado por um não judeu, e portanto fica difícil dar selo de kashrut para vinículas que empregam funcionários que não são judeus.

Apesar do governo reconhecer determinados etíopes como judeus, e permitiram a alyah, o rabinato acha que eles precisam de conversão.

E foi por isso que a vinícula BARKAN demitiu recentemente todos os funcionarios de origiem etíope, aparentemente sob ameaça de perder o selo de kashrut.

Alguns acusaram de racismo, mas aparentmente essa é a lei judaica. Mesmo assim, os funcionários voltaram ao trabalho ontem.

fonte:https://www.timesofisrael.com/after-backlash-barkan-winery-says-ethiopian-workers-to-work-as-usual/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *