Existe racismo em Israel?

É óbvio que existe racismo em Israel. Veja só

Ashekenazi Sfaradi.

  • Primeiro Ministros. Em 70 anos, depois de 12 indivíduos, apesar da população judia ter maioria sfaradi, todos primeiros ministros foram ashkenazis.
  • Juizes. apesar de existir juizes sfaradim, a grande totalidade, ashekenazi.

Etíopes.

  • Restaurantes. Os bares em Tel Aviv raramente contratam etiópes para garçom / garconete, apesar de serem mais educados, eficientes. Nem entrevistam.
  • Escolas. A grande maioria das escolas tem uma “quota” para etiopes e muitos até um pátio de recreio separado.

Judeu / não Judeu

  • O Rabinato é quem decide matrimônios e o casamento entre um judeu e não judia, não é reconhecido.

Árabes.

  • Vistorias. É bem comum ver em todos os lados, que na vistoria de segurança árabes recebem um tratamento bem diferente e uma supervisão bem mais rigorosa.
  • Cargos. Tambem é comum não ver muitos árabes trabalhando em posições de comando, confiança.

Ortodoxo / Secular

Prefeituras. A maioria das prefeituras raramente tem ortodoxos na folha de pagamente para determinados cargos. Em contra partida municipios ortodoxos não tem seculares.

Mercado Financeiro. O percentual de charedim é minusculo. Se trata de um clube fechado.

O governo é imparcial com respeito a lei, sendo que todos são julgados de acordo e recebem direitos sociais idênticos ou pelo menos parecidos, na medida do possível.

Mesmo assim a sociedade Israelense permanece profundamente dividida.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *